Na sua opnião contabilidade é gasto ou investimento?
Ver Resultado

3 de novembro de 2015
Quanto vale a sua empresa?
3 de novembro de 2015
A armadilha do fundador
3 de novembro de 2015
Empreender exige planejamento
24 de março de 2015
Pare, olhe, escute

Imposto pode elevar conta de luz em até 31%

Como todo item de consumo, a conta de luz traz, além do preço do produto ou serviço — no caso, a energia elétrica —, os impostos. O principal é o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), que varia conforme a faixa de gastos. Quem usa até 50 kilowatts/hora (kWh) por mês fica isento do tributo. De 51 até 300 kWh, a alíquota é de 18%. Já para quem consome mais de 300 kWh, o percentual passa para 30%. Isso pode representar um aumento de até 31% no custo do kWh.

É o caso da conta de um cliente da Light que consome entre 51 e 300 kWh. Se ele estivesse na primeira faixa de consumo, isenta de ICMS, o valor do kWh seria de R$ 0,31769. Como ele gasta mais de 50 kWh, o valor passa para R$ 0,41823.

Por isso, cada kWh economizado pode representar, além de menos energia consumida, um imposto mais baixo, resultando numa conta mais barata. Uma lâmpada apagada pode fazer a diferença. Segundo dados do Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica (Procel), uma lâmpada fluorescente compacta de 11 Watts acesa cinco horas por dia durante 30 dias consome 1,65 kWh, o que pode representar a diferença entre uma faixa de consumo e outra, aumentando o ICMS.

O liquidificador é outro aparelho que, se tiver o uso reduzido, pode deixar o consumo dentro do limite que prevê um imposto menor. Isso porque o equipamento ligado por 15 minutos diários durante 15 dias consome 1,1 kWh. Já que não se pode cortar eletrodomésticos de uso contínuo, como geladeira e freezer, a solução pode ser diminuir o consumo de outros aparelhos.

Confira dicas para economizar energia:

Lâmpadas

Troque as lâmpadas incandescentes pelas fluorescentes e, durante o dia, dê preferência à luz natural, abrindo janelas e cortinas.

Geladeira

Evite abrir a porta muitas vezes, não use a parte de trás para secar roupas, não ponha recipientes quentes dentro do aparelho, não forre as prateleiras internas e prefira as geladeiras de uma porta, que são mais econômicas.

Ferro elétrico

Passe o máximo de roupas de uma só vez, evitando ligar e desligar o ferro várias vezes ao dia. Comece pelos tecidos mais leves, que requerem menos calor, e vá passando até chegar às roupas mais pesadas.

Máquina de lavar

Reúna o máximo de roupas para lavar de uma vez, usando a capacidade total de máquina. Assim, economiza-se energia elétrica e água. Use a dose certa de sabão especificada no manual de instruções, para não ter que enxaguar as roupas várias vezes.

Chuveiro elétrico

Tome banhos rápidos e procure usar o chuveiro com a chave no modo de temperatura “verão”, que gasta até 30% menos de energia do que no módulo “inverno”. Feche o chuveiro ao se ensaboar e mantenha os orifícios de saída de água limpos.

Ar-condicionado

Compre um aparelho com potência adequada ao ambiente, mantenha os filtros de ar limpos e feche as portas e as janelas quando ligar o condicionador de ar.

Stand by

O ideal é desligar da tomada aparelhos que, mesmo quando não estão sendo usados, operam no modo “stand by”, como televisores e aparelhos de som e de DVD.

Fonte: http://extra.globo.com/noticias/economia/imposto-pode-elevar-conta-de-luz-em-ate-31-1411375.html