Na sua opnião contabilidade é gasto ou investimento?
Ver Resultado

3 de novembro de 2015
Quanto vale a sua empresa?
3 de novembro de 2015
A armadilha do fundador
3 de novembro de 2015
Empreender exige planejamento
24 de março de 2015
Pare, olhe, escute

Microempreendedores de Ibitipoca se unem para, juntos, expandirem os negócios

Grupo de 13 pessoas criou uma central de negócios que, em menos de quatro meses, já garantiu grandes descontos nas compras conjuntas

Pequenos empresários de Conceição do Ibitipoca estão levando a sério o dito popular de que a união faz a força. Reunidos na Rede Ibitipoca de Turismo para a Hospitalidade, eles resolveram criar uma central de negócios, a primeira do setor de turismo no Brasil. A central, que abriu as portas em agosto, reúne 13 empreendedores das áreas de hotelaria, restaurante, alimentos e comércio. Em menos de quatro meses de funcionamento já garantiu aos associados descontos de 55% na compra em conjunto de água mineral. Na aquisição de uniformes para os funcionários, o desconto alcançado foi de 38%. Além disso, os integrantes estão fechando a compra de peças de roupa de cama, mesa e banho com no mínimo 45% de desconto e promoveram uma licitação para aquisição de frigobares na qual os preços estão sendo fechados por cerca de metade caso os negócios fossem feitos individualmente.

Saiba mais

A vila de Conceição do Ibitipoca, localizada no município de Lima Duarte, é um paraíso em meio às montanhas que circundam e envolvem o Parque Estadual do Ibitipoca (uma continuação da Serra da Mantiqueira), considerado pelo site de viagens TripAdvisor o terceiro melhor da América Latina. O local recebe cerca de 75 mil turistas ao ano (a alta temporada são os meses de janeiro, fevereiro, março, julho e agosto). Durante esses meses, apenas em Conceição do Ibitipoca o turismo gera R$ 30 milhões em receita, o que faz do setor a principal fonte econômica do distrito e a segunda de Lima Duarte, atrás apenas da pecuária leiteira.

Ainda há um potencial turístico enorme a ser explorado nas demais cidades da região, localizadas fora da área do parque. “Nosso circuito envolve 10 municípios no entorno da unidade de conservação. Foi por meio dela que o projeto da central de negócios, do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), chegou a Conceição do Ibitipoca”, observa Marcus Marchiori, presidente da rede. Marchiori já vê os resultados da união em seu próprio negócio. De acordo com ele, os consultores mostram o caminho das pedras. “Fizemos várias visitas técnicas para ver, in loco, as centrais que estão em pleno funcionamento e também os locais onde os circuitos turísticos são fortes. Diante disso, há muita informação nova na forma de gerir a empresa”, observa.

Proprietário da Pousada Mãos de Maria e de uma loja com o mesmo nome, Marchiori explica que seu negócio é hospedagem, camping e comércio. “Minha empresa está redondinha e pronta para a tomada de financiamento. Antes a gente não tinha organização. Como o financeiro não era organizado, não dava para conseguir crédito. Agora estamos a caminho de ter um financiamento aprovado”, comemora. Para José Tarcísio Fagundes de Paula, analista técnico do Sebrae e responsável pela microrregião de Barbacena, onde está localizada a cidade de Lima Duarte e o Parque Estadual do Ibitipoca, a central de negócios, além de reduzir custos, também está alavancando a divulgação do cirtuito por meio do site criado pelos empreendedores (www.redeibitipoca.com).

CIRCUITO HISTÓRICO Ele explica que já existe uma programação do governo estadual para os circuitos turísticos. “Por isso, formamos uma parceria para alavancar e promover o turismo na região, que reúne além de Lima Duarte e Conceição do Ibitipoca as cidades de Santa Rita de Ibitipoca, Bias Fortes e Santana do Garanmbéu. “A região é muito rica em belezas naturais, mas nem todos as cidades têm infraestrutura para receber os turistas”, observa. Por outro lado, segundo ele, elas podem fornecer mão de obra e também atrair turistas com seus diferenciais. “Santana do Garambéu, por exemplo, produz artesanato e nas outras cidades há produtores locais de frutas e produtos orgânicos, queijos e doces”, acrescenta.

Elizabeth Aparecida Aguiar fabrica pão de canela em Conceição do Ibitipoca. A produção, iniciada há 16 anos por ser um costume de família, hoje virou um negócio em pleno crescimento. “Durante algum tempo forneci para a padaria local, mas depois passei a ter meu próprio ponto para dar prosseguimento à tradição e também me sustentar”, conta. Nos fins de semana comuns ela comercializa, em média, 110 unidades, mas nos feriados e fins de semana prolongados o número salta para até 250 pães. Integrante da rede, ela pretende fazer a tabela nutricional do produto e vem desenvolvendo sua própria marca. “Com isso, será possível incrementar o negócio. É uma questão de agregar valor. Depois da formação da Rede Ibitipoca de Turismo minhas vendas já melhoraram 30%”, garante.

Atualmente, em todo o trecho turístico de Ibitipoca existem 174 negócios. São 21 cidades participando dos circuitos turísticos e a perspectiva é chegar a 30. O projeto só termina em 2018. “Estamos abrindo uma cooperativa para uma nova chamada de associados. Vem gente de Lima Duarte, Santa Rita do Ibitipoca, Rio Preto e Santa Rita do Jacutinga”, diz Marcus Marchiori.

Fonte: http://www.em.com.br/app/noticia/economia/2014/11/30/internas_economia,594960/microempreendedores-de-ibitipoca-se-unem-para-juntos-expandirem-os-n.shtml